Oki

Após fusão, Suzano apresenta primeiro Inventário de Gases do Efeito Estufa

08/06/2020 - 10:06

A empresa informa que o resultado entre emissões e remoções de gases causadores de efeito estufa gerou um saldo positivo ambientalmente em 11,75 milhões de toneladas de CO2equivalente em 2019. A companhia garante que removeu da atmosfera quase 12 milhões de toneladas de gás carbônico.

O Inventário de Gases do Efeito Estufa da Suzano indica que a companhia capturou, a partir de sua base florestal composta por áreas de plantio e de preservação, o equivalente a 15,48 milhões de toneladas de CO2equivalente.

O número é quatro vezes maior do que a emissão realizada no mesmo período, que ficou em 3,72 milhões de toneladas de CO2. Estes números de remoção e emissão podem variar ano a ano dependendo do volume de eucalipto plantado e colhido, o crescimento da mata nativa, a produção fabril e a quantidade de produto entregue aos nossos clientes.

 Os estudos mostram que aproximadamente 12 milhões de toneladas de CO2equivalente das 15,48 milhões de toneladas de CO2equivalente foram removidas da atmosfera como resultado da extensa área plantada da companhia. O número é um reflexo da quantidade de floresta de eucalipto em pé e da quantidade de madeira que foi colhida, que foi menor em 2019. Já as florestas nativas contribuíram com a remoção de 3,34 milhões de toneladas de CO2equivalente.

Este número é positivo, pois as florestas nativas estão evoluindo para estágios mais avançados. A Suzano possui uma base florestal composta por aproximadamente 1,3 milhão de hectares de área plantada e 900 mil hectares de áreas preservadas.

“Os números apresentados e a transparência de relato dos resultados reforçam o comprometimento da Suzano com a construção de um futuro mais sustentável, no qual os consumidores terão um olhar ainda mais atento à responsabilidade socioambiental das empresas”, afirma Cristiano Resende, Gerente Executivo de Sustentabilidade Institucional da Suzano. “No último ano, conseguimos capturar muito mais carbono da atmosfera do que emitimos, e seguiremos com esse movimento conforme estabelecemos publicamente em nossas metas de longo prazo”, completa o executivo.

A Suzano possui entre suas metas o objetivo de remover 40 milhões de toneladas de carbono equivalente da atmosfera até 2030. A companhia também almeja reduzir em 15% as emissões específicas de suas operações nos próximos dez anos. Com isso, pretende ser ainda mais climate positive e contribuir para mitigar os efeitos causadores de mudanças climáticas.

A apuração de impactos gerados por meio do inventário ajuda a identificar oportunidades e definir estratégias futuras. Os cálculos apresentados no documento foram feitos em conjunto com a consultoria Plantar Carbon e contaram com a auditoria externa da Bureau Veritas.

Mais informações sobre o balanço ambiental da Suzano estão disponíveis no Relatório Anual 2019 e na Central de Indicadores, uma plataforma interativa que apresenta dados quantitativos e qualitativos sobre as operações e os impactos da empresa.

  Mais notícias

Gráfica Inteligente Agnelo Editora Anuncie aqui