Oki

Klabin inaugura Centro de Interpretação da Natureza em Santa Catarina

29/03/2019 - 13:03

Além de preservar mais de 68 mil hectares de áreas de matas nativas nas regiões onde mantém operações florestais em Santa Catarina, a Klabin  inaugurou um Centro de Interpretação da Natureza, localizado em um ponto estratégico da Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Complexo Serra da Farofa, em Santa Catarina.

A data da inauguração do Centro de Interpretação da Natureza, no dia 21 de março, foi escolhida pela Klabin em homenagem ao Dia Internacional das Florestas. Criada em 2012 pela ONU, a celebração tem como propósito fomentar a reflexão da população sobre a conservação e o desenvolvimento sustentável das florestas, princípios que estão alinhados com os valores da companhia.

Criado pela empresa para apoio ao desenvolvimento de pesquisas científicas que vêm sendo desenvolvidas em parceria com universidades locais como a Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC, há mais de uma década, bem como com outras entidades de pesquisa, o Centro oferecerá infraestrutura para alojar grupos de pesquisadores durante os trabalhos e estadia na RPPN.

A Unidade de Conservação fica em uma área de mata nativa de aproximadamente cinco mil hectares, mantida há mais de dez anos pela Klabin, com o objetivo de preservar a  biodiversidade local e fomentar pesquisas científicas que contribuam para o estudo da RPPN, importante remanescente da Mata Atlântica, composta por Floresta de Araucárias, Campos de Altitude e nascentes dos rios Caveiras, responsável por fornecer água ao município de Lages (SC), e Canoas, que forma a maior bacia hidrográfica de Santa Catarina. Mais de 420 espécies de flora e 190 espécies da fauna já foram identificadas oficialmente no local, entre elas, muitas classificadas como endêmicas, raras e com status de conservação reconhecido entre as listas oficiais de espécies ameaçadas de extinção.

Com o Centro de Interpretação da Natureza, especialistas, pesquisadores e estudantes de todo o País, interessados em realizar pesquisas no local, poderão se hospedar em um dos principais pontos de acesso dentro da própria reserva. A instalação está localizada em uma área prioritária de conservação a 1.700 metros de altitude, equipada com alojamentos para receber até 40 visitantes simultaneamente, com disponibilidade de dormitórios, refeitório e um auditório, que também pode ser utilizado como sala de aula.

A RPPN Complexo Serra da Farofa é dividida em seis grandes blocos, localizados nos municípios catarinenses de Painel, Urupema, Rio Rufino, Urubici e Bocaina do Sul. “O Centro de Interpretação da Natureza foi arquitetado para ser sustentável desde a sua construção. Com estrutura robusta e planejada para minimizar a necessidade de recursos de climatização, além de estar integrado com a paisagem local. É um projeto muito importante, que permite o compartilhamento de todo o conhecimento adquirido nessa área, que revela informações preciosas sobre a biodiversidade regional”, explica José Totti, iretor Florestal da Klabin.

  Mais notícias

Gráfica Inteligente Agnelo Editora Anuncie aqui