Oki

José Ricardo Roriz Coelho assume comando da Vitopel

13/02/2008 - 00:02
Após uma bem sucedida carreira de 25 anos no setor petroquímico, com importante papel em sua reestruturação, José Ricardo Roriz Coelho vai atuar agora mais próximo do consumidor final. O executivo assumiu a presidência da Vitopel, maior companhia Latino Americana, e terceira no mundo, na produção de filmes flexíveis BOPP - material de alto valor agregado usado em segmentos com enorme potencial de crescimento, desde embalagens para alimentos e bebidas, pet foods, etiquetas, rótulos e gráficas à indústria do tabaco.

Tendo sido presidente da Polibrasil, da Suzano Petroquímica e da Nova Petroquímica, além de dirigir algumas outras companhias e entidades como Ipeg, Abiquim, Siresp e Fiesp, Roriz Coelho vai trabalhar agora para fortalecer a indústria de embalagens no Brasil e Argentina e prepará-la para os desafios do mercado global. “O cenário econômico é extremamente favorável para nossos negócios. Teremos uma safra recorde, o mercado interno continua seguindo aquecido e nosso setor tem total capacidade de trabalhar para que o Brasil exporte mais produtos embalados”, afirma.

O Brasil detém 60% do consumo sul-americano de embalagens flexíveis. Nos últimos anos, o crescimento médio do produto ficou acima de 10%. A Vitopel vende 64% de sua produção para os segmentos de embalagens, 20% para rótulos e etiquetas e o restante para os segmentos de gráfica e de comunicação visual. Roriz Coelho acredita que além do segmento alimentício, outros clientes também demandarão muito este ano. Um exemplo próximo é a Páscoa, ocasião em que há um aumento significativo no consumo de embalagens, pois todos os ovos de chocolates são embalados com filmes flexíveis. “A eleição é outro exemplo de oportunidade para maior comercialização de filmes para comunicação visual e uso gráfico”, conclui o executivo.

A Vitopel produz anualmente 150 mil toneladas de filmes flexíveis de BOPP. É um produto 100% reciclável e utiliza somente materiais recicláveis em sua composição. Graças à tecnologia aplicada pela Vitopel, os filmes flexíveis resultam em embalagens com maior resistência e menor espessura, o que demanda menos materiais em sua composição. O resultado é um produto com excelente eco-eficiência e que atende as principais exigências do consumidor em relação aos resíduos gerados no pós-consumo. Os filmes flexíveis são encontrados nas embalagens para balas e doces, sorvetes, chocolates, biscoitos, sopa desidratada, suco em pó, snacks, rótulos de cerveja e refrigerantes, filmes embalagens para presentes, filmes para pacotes de cigarros, fita adesiva, laminação de papeis e outros.

A Vitopel está atenta às oportunidades de mercado que possam agregar valor aos seus ativos. Roriz Coelho revela que a companhia está analisando investimento ainda este ano de US$ 50 milhões para construir uma nova fábrica no Brasil. Além disso, estão confirmados US$ 5 milhões para a aquisição de uma nova linha de produção para filmes metalizados. Este é um mercado que, segundo Roriz Coelho, vem crescendo muito. A tecnologia aplicada na produção de embalagens metalizadas proporciona um produto com maior resistência, menor espessura e maior barreira que permite maior e melhor conservação dos alimentos. Além disso, possuem excelente apelo visual, o que melhora a apresentação dos produtos no ponto de venda.

No campo das oportunidades, Roriz Coelho afirma que a Vitopel acompanha de perto o mercado de carnes no Brasil e na Argentina, maiores produtores e exportadores mundiais. “O potencial desse mercado é muito grande e estamos estudando também investimentos para uma nova linha de produção que atenda o segmento de embalagens para carnes e embutidos”, completa. Ainda sobre as oportunidades, o executivo afirma que a empresa também estuda o mercado de filmes encolhíveis.

Potencial para atender o mercado
Com presença global e escritórios no Brasil, Estados Unidos e Argentina, a Vitopel, estabelece parcerias comerciais pelos cinco continentes. Além de sua liderança no mercado brasileiro, a Vitopel exporta para o Chile, Argentina, EUA, México, países da América Central, Pacto Andino, Europa e África.

Ao todo, são mais de 975 colaboradores, na Argentina, Brasil e Estados Unidos trabalhando para desenvolver as melhores soluções para clientes como Nestlé e Unilever, Kraft Food, PepsiCo., Coca Cola, Ambev, Bunge, Tetra Pak, International Paper, Suzano Papel e Celulose, Marilan, Accor e Havana.

Atualmente, conta nove linhas de produção em três unidades industriais, uma na Argentina e duas no Brasil. A Planta de Totoral, na Argentina, conta com modernos equipamentos e três linhas de produção. Esta unidade possui capacidade média de 32 mil toneladas de filmes flexíveis anuais. No Brasil, a Vitopel possui duas fábricas. A Planta de Mauá (SP), que em 2001 triplicou a sua produção com a instalação de uma nova linha e possui capacidade de 43 mil ton/ano. A unidade de Votorantim (SP) é tradicional no ramo de embalagens. A planta produz 75 mil ton/ano e conta com a linha mais veloz do mundo, um projeto audacioso que confere à empresa um altíssimo padrão tecnológico e melhor eficiência operacional.

A Vitopel possui a única Planta Piloto e Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Filmes BOPP da América Latina, o que lhe permite a busca constante por soluções em filmes flexíveis para as mais diversas demandas do mercado.

Mercado
Além do excelente relacionamento com seus clientes, a Vitopel investe intensamente em P&D, inovação, agilidade e flexibilidade no desenvolvimento de novas soluções, aliados à eco-eficiência e geração de valor para o mercado.

Outro ponto que vale reforçar é o destacado desempenho para desenvolver novos produtos, com índices crescentes de novas aplicações e resultados relevantes para seus clientes. A Vitopel tem dezenas de inovações que pretende lançar no mercado este ano como parte de sua estratégia de crescimento. São inovações, revela Roriz Coelho, que estarão melhorando a comunicação visual e o potencial de venda de vários produtos nas lojas, nos shoppings e nos supermercados.

Pessoas
Além de fornecer produtos e serviços de qualidade, a Vitopel adota uma postura efetiva no campo da responsabilidade socioambiental, como parte de seu planejamento estratégico. A empresa é referência em boas práticas de recursos humanos e vem aprimorando cada vez mais os mecanismos de relacionamento com seus mais de 975 colaboradores, por meio de investimentos em capacitação, desenvolvimento e melhoria da qualidade de vida.

Os colaboradores da Vitopel têm larga experiência e conhecimento dos setores que a empresa atua. E Roriz Coelho pretende aproveitar esse capital humano para desafios mais ambiciosos no mercado.

A Vitopel mantém programas que disseminam conceitos de educação ambiental e favorecem a integração dos familiares dos funcionários com a empresa. Em relação às comunidades no entorno de suas unidades de produção, a Vitopel apóia e desenvolve programas de inclusão dos jovens, contribuindo, desta forma, para o desenvolvimento social local.

Controle
Controlada pelos fundos de investimentos dos bancos JP Morgan, Chase e CSFB, a Vitopel foi inaugurada em 1988 e é líder no mercado de filmes flexíveis de BOPP, com produção de 150 mil ton./ano. Além da liderança nos mercados do Brasil, exporta para dezenas de outros países seus produtos de alto valor agregado. Em 2000, seus atuais controladores adquiriram seus ativos e intensificaram esforços para tornar a Vitopel a companhia do setor mais importante da América Latina. Com a chegada de Roriz Coelho, os esforços estarão na direção do crescimento sustentável frentes às oportunidades do mercado global.

  Mais notícias

Gráfica Inteligente Agnelo Editora Anuncie aqui