Revista Graphprint - Edição 185

Revista Graphprint - Edição 185

Consumo GRAPHPRINT Mai/Jun 2018 38 Muitos gestores desenvolvem sua carreira sustentada na ideia de que investir no início do negócio é complicado e acompanhar o mundo da tecnologia - o qual está em constante mudança -, bem como criar estratégias para alavancar vendas, são contextos difíceis. Além disso, se esquecem que prezar por qualidade não é um diferencial e sim um dos maiores compromissos para com seus clientes. Todas as empresas têm metas de vendas para alcançar. E, ano a ano, empreendedores se de- param com as mesmas perguntas: “investir mais em recursos tecnológicos e equipamentos específicos para inovar e proporcionar melhor atendimento aos consumidores ou vender mais para conseguir tais objetivos depois?” Caso alguém em sua empresa faça esse questionamento, considere que ambas opções são imprescindíveis e complementares, afinal, é por meio de equipamentos eficazes, alinhados à uma boa gestão, que os clientes se sentem motivados a realizarem novas compras. Uma pesquisa realizada pela PwC Brasil mostra que 71% dos brasileiros entrevistados estão otimistas em relação às suas compras em 2018. Isso indica que houve um crescimento con- siderável em relação às análises de cinco anos atrás envolvendo lojas físicas, em que apenas 55% dos perguntados afirmaram ter dito a velha frase clichê “estou só dando uma olhadinha”. O aumento de vendas se deu claramente pelo reaquecimento econômico e pode ser explica- do também pelas melhorias internas dos estabelecimentos. Gestores que optaram pelo uso e abuso das redes sociais, aplicaram prioridade aos seus consumidores, destinaram promoções e investiram na rapidez da automação comercial obtiveram resultados excelentes. Para atrair e fidelizar clientes Automatizar o processo comercial desde a prospecção de clientes até a pós-venda deixa a sua empresa bem mais competitiva Dados da pesquisa de Alta Performance do VendaMais, diz que 58,9% dos vende- dores se tornam mais produtivos quando estão felizes. Por isso, a extrema impor- tância de capacitar a equipe de vendas no atendimento comercial. E, mais: para que as mudanças causem efeito positivo ao comércio, empresários repercutem a estra- tégia do “funil de vendas”, termo muito conhecido que designa as ações a serem seguidas para encantar novos clientes. 1. Pré-venda / prospecção: o objetivo é conhecer o perfil do possível comprador, quais são suas qualidades e quais os poten- ciais para aquele determinado consumidor se tornar parceiro. É nesse momento que o vendedor usa de sua arte persuasiva para conquistar seu possível comprador. 2. Orçamento: o cliente potencial aceita receber uma proposta econômica da parte do consultor. O desafio maior é fazer com que as expectativas do cliente “empate” com as de sua empresa em questões ligadas à forma de pagamento, preços, prazos de entrega, entre outros pontos. 3. Negociação: nesta etapa, é essencial muita comunicação entre o prospecto e o consultor de vendas para que ambos escu- tem todas as necessidades e possam chegar no acordo de qual a melhor proposta. 4. Venda / fechamento da venda: é quan- do o cliente potencial confirma seu pedido (através de e-mails, conversas por telefone ou presencialmente), se comprometendo com a compra formal. 5. Agilidade no final da compra: aguardar pode se tornar um grande pesadelo para muitos consumidores. Por isso a impor- tância da automação comercial podem trazer comodidade e eficiência no dia a dia da empresa, gerando custo-benefício. 6. Pós-venda: é interessante verificar o cumprimento das expectativas do cliente, seja com avaliações ou sugestões de melho- rias. Diálogo é sempre bem-vindo.

RkJQdWJsaXNoZXIy MTY1MzM=