Revista Graphprint - Edição 184

Revista Graphprint - Edição 184

GRAPHPRINT Mar/Abr 2018 33 Contrariando previsões pessimistas, o mercado de impressão entrou em 2018 com foco no cres- cimento. Em todos os segmentos, com especial atenção ao setor de embalagens, há tendência de ótimas impressões. Nesse caminho favorável, a impressão digital amplia a sua participação ao lidar com mídias e processos diferenciados. A Smithers Pira, por exemplo, enxerga crescimen- to em embalagens flexíveis por parte da impres- são digital. A expectativa é de aumentar mais de 17,1% em taxa composta de crescimento anual, para o período de cinco anos até 2022, quando esse mercado deverá atingir mais de US$ 750 milhões. Outro bom exemplo vem do setor promocio- nal, que precisa sustentar o aumento de consu- mo que está chegando. É evidente a retomada da economia, conforme o Índice de Expectativa do Consumidor da Confederação Nacional da Indústria (CNI) que apontou crescimento de quase 2,5% em janeiro (2018) na comparação com dezembro do ano passado. Isso significa que os consumidores estão mais otimistas em relação à economia e que voltaram a consumir diante da melhora nas condições econômicas. O panorama do setor, em 2017, de acordo com a Abigraf, com relação à participação dos segmen- tos na produção total, ficou da seguinte maneira: setor de embalagens com 48,6%, seguido de pu- blicações (livros, revistas, manuais e guias) com 21,6%; impressos promocionais (8,6%); impres- sos de segurança, fiscais e formulários (6,8%); etiquetas (4,8%); pré-impressão (3,3%); cartões (3,4%); cadernos (2,7%) e envelopes (0,2%). O PAPEL DIGITAL NO MERCADO Atentos aos movimentos do mercado, os fabri- cantes de papéis para impressão estão com pro- dutos customizados voltados para a impressão digital. Daniel Grassiotto, gerente comercial da Filiperson, lembra que a empresa compete desde o início da demanda por esses produtos no Bra- sil. Tudo começou com a importação, por parte do então maior fabricante de máquinas copiado- ras laser coloridas, de modelos de equipamentos que possibilitavam impressões de alta qualidade. “Porém não conseguiam, no mercado brasileiro, entregar sua máxima qualidade, pois os papéis existentes no país, naquela épo- ca, eram inadequados e restringiam a performance das impressoras. A convite da Xerox do Brasil, a Filiperson realizou pesquisas, coletou informações técnicas e, em conjunto com a equipe técnica, desenvolveu as linhas de papéis Xerocoat e Filicoat, específicas para impressões laser de alta resolução e fidelidade de cores”, fala Grassiotto. Já se passaram mais de 20 anos e a Filiperson foi acompanhando a evolução des- se mercado, atendendo aos chamados de outros fabricantes de equipamentos e desenvolvendo papéis capazes de atender às novas tecnologias. “O consumo veio sistematicamente crescendo na medida em que se popularizavam as novas tecno- logias. Já a oferta de insumos não acompanhava a demanda, uma vez que sempre existe a barreira dos custos que no mercado brasileiro, pela realidade dos preços DANIEL GRASSIOTTO, GERENTE COMERCIAL DA FILIPERSON: “Com o passar do tempo, tecnologias inovadoras chegaram ao Brasil e muitos fabricantes de equipamentos passaram a importar ou firmar acordos para que distribuidores realizassem as importações de insumos apropriados. A Filiperson veio atualizando a sua linha e hoje figura como importante fornecedora desses papéis para o mercado de impressão digital.”

RkJQdWJsaXNoZXIy MTY1MzM=