Revista Graphprint - Edição 184

Revista Graphprint - Edição 184

GRAPHPRINT Mar/Abr 2018 31 Nesse movimento de mercado, o objetivo da Müller Martini é oferecer soluções ino- vadoras e mais adequadas, explorando os potenciais de ambas as empresas. “Isso ga- rante o futuro do negócio de encadernação de livros em capas flexíveis e capas duras dos nossos clientes e, em consequência, empre- gos na indústria gráfica”, reforça o CEO da Müller Martini. Entrevistamos Melchior Trüeb, gerente inte- rino Müller Martini Brasil, para ficarmos por dentro dos detalhes da negociação que agitou recentemente o setor gráfico. “A integração no Grupo Müller Martini dos negócios de encadernação em capa flexível e capa dura da Kolbus se concretizou para os setores offset e digital. Portanto se trata de uma integração ampla e completa”, diz Trüeb. Referente aos valores tratados, o Grupo Müller Martini não revela detalhes com respeito a essa integração. “Para os clientes da Müller Martini não muda absolutamen- te nada. Continuamos servindo da mesma maneira como servimos até hoje. Mas esta- mos cientes que os nossos serviços podem melhorar, e estamos trabalhando nesse sen- tido. Já para os clientes até então Kolbus, a situação muda, pois a partir de 1º de maio de 2018 estes também poderão contar com os nossos serviços, em todos os aspectos”, avisa Trüeb. PRÓXIMOS PASSOS Consolidada a negociação, a Müller Martini está preparada para atender. Caso pinte uma dúvida se será possível fazer upgrades em equipamentos já instalados aqui no Brasil, Trüeb esclarece: “Os equipamentos Kolbus já instalados no Brasil, como no mundo todo também, serão tratados da mesma maneira e com o mesmo carinho dos equipamentos Müller Martini instalados. Garantiremos serviços, peças de reposição e assistência técnica, incluindo up grades até onde isto será possível, sempre sob consulta prévia”, garante. Enquanto muitas empresas olham com mais atenção para o segmento de embala- gens, o investimento deixa a Müller Martini ainda mais distante deste mercado. E o movimento da companhia Suíça é exatamente neste sentido: “A Müller Martini saiu do segmento de embalagens em 2014, quando deixou de fabricar rotativas de impressão desenhadas para embalagens. Esse passo foi um sinal claro ao mercado: o Grupo Müller Martini se concentra no segmento de acabamento gráfico, puro e simples. A integração ao Grupo Müller Martini destes negócios da Kolbus reforça assim a nossa posição”, enfatiza o gerente interino Müller Martini Brasil. Para concluir, Trüeb enxerga que o mercado gráfico brasileiro deverá crescer em 2018, mesmo que seja de modo ainda tímido. “O motivo é simples: após anos de estagnação, ou até mesmo de retração, a situação tende a mudar para melhor. A po- pulação cresce, o poder de compra também, e com isso o consumo aumenta. A alta no consumo demanda uma produção crescente, e por isso algumas gráficas deverão se ajustar”, acredita. MELCHIOR TRÜEB, GERENTE INTERINO MÜLLER MARTINI BRASIL: “Para os clientes da Müller Martini não muda absolutamente nada. Continuamos servindo da mesma maneira como servimos até hoje. Mas estamos cientes que os nossos serviços podem melhorar, e estamos trabalhando nesse sentido. Já para os clientes até então Kolbus, a situação muda, pois a partir de 1º de maio de 2018 estes também poderão contar com os nossos serviços, em todos os aspectos.”

RkJQdWJsaXNoZXIy MTY1MzM=